Polícia Civil de Goiás: inscrições abertas para Delegado 2016/2017

deltapcgoaberta

A partir desta terça-feira, 22 de novembro, até 12 de dezembro de 2016, a Polícia Civil do Estado de Goiás recebe as inscrições do concurso (Inscrições Concurso PC GO 2016/2017) que tem objetivo de preencher 36 vagas no cargo de Delegado. O edital foi publicado no dia 09/11 sob organização do Cesbraspe / Cespe.

Os interessados em disputar uma das vagas devem ter nível superior em direito. O salário oferecido pode chegar a até R$ 15.250,02, por até 40 horas semanais.

Para efetivar a inscrição no concurso da Polícia Civil de Goiás PC GO 2017, o candidato deverá acessar o endereço eletrônico oficial da organizadora: (http://www.cespe.unb.br/cebraspe/). A taxa de inscrição custará R$200,00.

Por Jonas Leite

Concurso Politec (MT) 2016/2017: Organizadora é definida! Até R$ 3.331,46

vtrpolitecms

A próxima organizadora do concurso público da Perícia Oficial e Identificação Técnica do Estado do Mato Grosso (Concurso Politec MT 2017) já está definida. Em divulgação no Diário Oficial do Estado desta quinta-feira, 24 de novembro, a Fundação Universidade Federal de Mato Grosso (Funemat) foi escolhida através de dispensa de licitação.

Com a escolha, a expectativa é que o edital não demore de ser divulgado. A empresa escolhida terá missão de realizar planejamento, elaboração, organização e realização do concurso público de provas e títulos para o provimento de cargos do quadro servidores da Perícia Oficial e Identificação Técnica (POLITEC MT).

O Concurso

O concurso da Perícia Técnica do Mato Grosso contará com 160 vagas, sendo 100 para Papiloscopista e o restante, 60, para Técnico em Necropsia. As oportunidades são em cadastro de reserva com nomeações previstas para começar em 2017, condicionadas a previsão orçamentária e adequação aos limites dos gastos com pessoal da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

O novo concurso será para reforçar, além de fazer a recomposição do quadro de servidores do órgão, cujo quantitativo está insuficiente para atender a demanda estadual, acarretando atrasos na entrega de documento de identificação, sobretudo no interior. O quadro legal dos efetivos da Politec é de 238 cargos de Papiloscopista e 86 cargos de Técnico em Necropsia, dos quais estão ocupados 135 cargos de Papiloscopista e 43 de Técnico em Necropsia.

Para participar do concurso será necessário nível superior em qualquer área. A remuneração está fixada em R$ 2.498,59 para papiloscopista para jornada de 30 horas semanais e R$ 3.331,46 para 40 horas. Para os servidores já ativos, a remuneração chega a R$ 8.326,80 para 30 e R$ 11.102,42 para 40 horas.

Fonte: Notícias Concursos por Jonas Leite

Polícia Militar – DF anuncia Concurso Público com salários que chegam até R$ 11,8 mil

Polícia Militar do Distrito Federal (PM – DF), anunciou nesta sexta-feira 18 de novembro de 2016 o edital do Concurso Público para admissão ao Curso de Formação de Oficiais Policiais Militares, que visa o provimento de vagas existentes e formação de cadastro reserva.

No total são 50 vagas sendo que a distribuição ocorre da seguinte forma 45 para homens e 5 para mulheres.

Para participar os interessados devem ter concluído curso superior, ter no mínimo 18 anos e no máximo 30 anos de idade, a altura mínima exigida é de 1,65m para participantes masculinos e de 1,60m para candidatas do gênero feminino.

Os candidatos aptos serão matriculados como Cadete e exercerão atividades estudantis em regime de dedicação integral e demais atividades atreladas à sua formação, após conclusão do curso durante o estágio probatório a atuação será como Aspirante-a-Oficial PM e após promoção ao 1º posto do oficialato como 2º Tenente, o policial cumprirá as atribuições e obrigações inerentes ao cargo.

As remunerações para graduação de Aluno-Oficial PM durante o 1º e 2º ano são de R$ 5.202,59, durante o 3º ano do CFOPM é no valor de R$ 6.112,87, como Aspirante-a-Oficial PM o valor é de R$ 10.147,13 e como 2º Tenente a remuneração chega aos R$ 11.894,25.

Os candidatos interessados podem realizar as inscrições a partir das 8h do dia 18 de dezembro de 2016 até às 22h do dia 8 de fevereiro de 2017, pelo site http://www.iades.com.br, a participação dos candidatos será confirmada mediante o pagamento do boleto da taxa de inscrição no valor de R$ 88,00.

Em conformidade com a Lei Distrital nº 4.949, de 15 de outubro de 2012, a isenção da taxa de inscrição será concedida apenas para doadores de sangue a instituições públicas de saúde e beneficiários de programa social de complementação ou suplementação de renda instituído pelo Governo do Distrito Federal. Neste caso o requerimento de isenção deverá ser preenchido pelo candidato ou procurador no CAC-IADEs entre os dias 5 e 9 de dezembro de 2016.

Os inscritos serão classificados por meio de Provas Objetivas e Discursiva previstas para serem aplicadas no dia 12 de março de 2017, em locais a serem divulgados posteriormente, haverá também Teste de Aptidão Física, Exames Biométricos e Avaliação Médica, Avaliação Psicológica, Sindicância da Vida Pregressa e Investigação Social e Prova de Títulos.

Este Concurso tem validade de dois anos, contados da data de publicação da homologação do resultado final, podendo ser prorrogado por igual período.

Fonte: PCI Concursos por Rafael Pompeu

PROVA CESPE: DICAS DE “CHUTE TÉCNICO” DO AGENTE FEDERAL WELLINGTON

chutecalculado

Olá galera! Blz? E os estudos? Insane Mode: ON?!

Respondendo aos muitos e-mails dos fans, kkkkk, resolvi fazer esse post explicando a minha concepção sobre o chute técnico, estarei me baseando principalmente no meu conhecimento prático e nas análises de dezenas a centenas de gabaritos (CESPE) que verifiquei durante meu preparo. Fiz também algumas pesquisas relacionadas ao assunto enquanto estudava, mas nunca encontrei nada bem sintetizado como o que tentarei fazer nesse post.

SIM, CHUTE TÉCNICO FUNCIONA! PORÉM…ENTRETANTO…TODAVIA… depende do seu nível de estudo; quanto mais preparado você estiver mais ele irá funcionar. Entenda que não estamos falando de um chute às cegas, e sim de uma técnica. E como toda técnica, exige estudo e treino.

Acredito que esse será um dos posts mais intrigantes que vocês já viram, céticos podem não aceitar o que irei falar, mas como dizia Dr. House: “Números não mentem”. xD

Primeiramente, o chute técnico possui diversas linhas de aplicação, abordarei as duas mais conhecidas e, é claro, que mais utilizei.

A primeira delas (se subdivide em 3) não exige tanto conhecimento para ser utilizada, não sei o nome certo, mas sempre chamei de “Questão trancada” ou “Questão Aberta” ou “Questão Semiaberta”.

A “Questão Trancada” engloba as questões que não aceitam outra alternativa, sem a possibilidade de uma segunda opção, exemplo: “APENAS/SOMENTE quem estuda por PDF passa em concurso”. É um exemplo simples, mas a ideia é essa, em tudo que fazemos geralmente tem outra forma de também dar certo (Geralmente há exceções). Esses tipos que questões costumam ter em sua construção um “NÃO É POSSÍVEL”, “APENAS”, “JAMAIS”, “NUNCA” “SOMENTE”, “EM NENHUMA HIPÓTESE”, “DE MODO NENHUM”. Assertivas contendo essas partículas OU EXPRESSANDO ESSES SENTIDOS na gigantesca maioria das vezes está errada, avalio em 80% a possibilidade de tal assertiva ser errada. (Jamais teremos um 100%). Mas se na sua prova tiver 10 questões com essas construções, com certeza você sairá no lucro aplicando a técnica, na pior hipótese você acerta pelo menos 6 e erra 4, ficando com 2+.

A “Questão Aberta” é o oposto da anterior, mas que também tende a estar errada, pois geralmente há exceções; possui os termos “EM QUALQUER CASO”, “DE TODA FORMA”, “SEMPRE”; A probabilidade de estar errada também gira em torno dos 80%. Veja que nem sempre terá esses mesmos termos, você deverá analisar a questão e avaliar qual o sentido que ela está expressando.

Já a “Questão Semiaberta” é o meio termo das duas anteriores, pois nem admite todas as possibilidades como também não inclui apenas uma ou nenhuma. Essas questões geralmente estarão certas. Exprimem a ideia de “Em alguns casos”, “Uma vez ou outra”.

Observe que essas três espécies usam a regra maior que diz: Geralmente há exceção, ou seja, nem tudo é permitido e nem tudo é proibido.

Essa técnica para mim é uma das melhores, pois pode ser aplicada a tudo que for de matéria, nas provas que fiz até hoje sempre apliquei essa técnica, nunca tive prejuízo. Use ela com cautela e a considere apenas como um auxílio, lembre-se que o mais importante é o estudo. E nunca se esqueça dos 20% que faltam para “fechar” a conta. Risos.

Treinem bastante, toda questão que você for responder a partir de hoje, procure primeiro esses termos que disse, e vá aplicando no seu dia a dia, poste aqui os seus resultados dos exercícios. Lhe garanto que funciona.

O “ponto fraco” dessa técnica é que em provas mais elaboradas as bancas tentam ao máximo evitar esses tipos que construções, entretanto, o sentido que os termos expressam dificilmente é completamente evitado, embora se utilizem de outras palavras. xD.

Em uma estimativa por baixo, nas provas de 120 questões, você irá conseguir aplicar essa técnica em cerca de 5 a 10 questões. (Se tratando de chute, é um número elevado).

Tenha em mente que não se passa em um concurso apenas com técnicas de chute, são um auxílio, que se bem aplicadas, irão lhe garantir alguns pontos extras. Imagine quantos não passaram no concurso de APF 2014 e em tantos outros por falta de 1 ponto ;/.

A Segunda técnica é muito mais complexa, e nunca utilizei, mas conheço vários amigos que usaram e hoje estão na PF ou em outros órgãos. Está diretamente ligada a seu nível de estudo. Quanto melhor você estiver, melhor será a sua aplicação.

Funciona da seguinte forma, após você terminar toda sua prova, conte quantas você marcou “C” e quantas “E”; as provas tendem a ter gabaritos balanceados, de modo que 50% de toda a prova será C e a outra metade E. Ou seja, se a prova tiver 120 questões, seu gabarito terá 60 C e 60 E. Dentre tantos gabaritos que analisei, em alguns casos, de fato batiam 60C/60E, porém a grande maioria vem com 62/58; 61/59; 63/57. Veja que não há diferenças exorbitantes, há um equilíbrio, e é nisso que tiramos vantagem. Então, no fim você contou e digamos que tenha respondido 110 questões, e dentre essas, 50 você marcou como C e as outras 60 marcou como E, as 10 que ficaram em branco marque elas como “C”, se (como já falei antes) você estiver em um bom nível de preparo, com certeza irá ganhar alguns pontos. O ponto fraco dessa técnica é que, como no meu caso, na prova de APF 2014 respondi apenas umas 92 questões, não mais que isso, e quando contei, os números estavam bastante equilibrados, algo em torno de 50E/42C e ainda faltavam 28 questões. Portanto, não foi possível o uso dessa técnica nessa situação. Mas vários amigos com quem conversei na ANP fizeram isso e ganharam pontos, uns conseguiram 2, outros 5 e por aí vai, lembro que pra PRF um amigo ganhou 7 pontos. Essa realmente funciona, e como eu disse, na minha prova não pude usar ela, mas estava preparado para utilizá-la se fosse possível. Mas como eu disse, você deve treiná-las para tê-las como auxílio, não deu para eu usar essa, mas a primeira que citei me auxiliou bastante.

A última técnica, (Só soube dela após fazer minha prova) é um tanto quanto absurda, mas que se eu tivesse utilizado teria ganhado uns 10 pontos; na realidade é desdobramento da anterior, e também depende inteiramente do seu nível de preparação, funciona da seguinte forma: em linhas gerais, encontre em sua prova 35 questões erradas, e chute todo o resto (85) como “C”. Sei que parece estranho, mas vejamos: considerando que as provas sejam equilibradas 60C/60E, se você acerta as 35 que marcou como E, e marcou as outras 85 como C, veja que irá acertar todas as questões C, garantindo 60 pontos e errar as outras 25E, como uma errada anula uma certa, acertou 35 + 60 = 95, subtraindo as 25E, fica com 70 pontos, com uma redação bem feita, você está aprovado.

O amigo que me mostrou essa técnica, olhei a prova dele com meus próprios olhos, e tinha sequências grandes todas respondidas como C, cerca de 15 questões seguidas, óbvio que foi chute. Mas só funcionou porque ele acertou as 35 questões (ou bem perto disso) que marcou como E, ou seja, exige que você esteja preparado. Ele se arriscou porque, nas palavras dele, “estava estudando há pouco tempo e não tinha condições de atingir uma nota para ser aprovado pelo meio convencional de se responder provas e tinha confiança de que acertaria as 35 que marcou como E”.

Você pode estar se perguntando, por que 35 E ao invés de 35 C? Questões erradas são mais fáceis de respondermos, não é verdade? É fácil quando se encontra o erro; por outro lado, quando a questão está C temos mais dificuldades para marcar, pois pode ser que seja questão capciosa e não estamos identificando erro algum, sempre questão C é mais difícil!

Quem descobriu essa ideia certamente é um gênio, faz todo sentido, e como já disse, eu ganharia uns 10 pontos se tivesse aplicado ela nas outras 28 questões de deixei em branco, me colocaria no Top 10. xD

O ponto fraco dessa técnica é que ela depende totalmente do seu desempenho em acertar as questões “E”. No meu caso, respondi 50E, óbvio que não acertei as 50, devo ter errado umas 3-4, ainda assim, acertei umas 45 E, logo, se eu tivesse aplicado a técnica, teria ficado próximo aos 90 pontos (fiz 78). No gabarito definitivo, ficou 61C, 52E e 7 anulações. Outro risco, como sempre, é de a banca fazer uma prova desbalanceada, isto é, 80E e 40C, ou o contrário, mas sinceramente, acho muito difícil de algo assim acontecer, no máximo um 67/53. 

O risco sempre existe. Vai de cada um arriscar ou não, falo por mim, e apenas por mim, Wellington Macedo,  não é a opinião do blog, tendo em vista que não perguntei a ideia dos amigos Alexandre Santos nem do Caverna; utilizei a primeira técnica sempre, a segunda não usei na PF, e na prova da PRF preferi não arriscar, mas me arrependi, teria conseguido uns 5 pontos a mais. 

O objetivo desse post é trazer a vocês novas abordagens, tentei explanar ao máximo os pontos positivos e negativos de cada técnica. Não estimulo nem aconselho ninguém a usar essas técnicas (exceto a primeira, desperdício seria não utilizá-la), analise você mesmo os números, as possibilidades, em que nível de preparação você se considera estar e decida por conta própria e boa prova!

Devo deixar claro que essa questão se aplica a praticamente todas as bancas e a todos os concursos e vestibulares.

Recordo de um Sr. chamado Sapóia, tem alguns vídeos dele no Youtube explicando algumas ideias do que citei aqui, aconselho a analisarem, e sempre terem em mente que nenhuma técnica de chute lhe garantirá uma vaga, e sim o seu preparo, a sua dedicação, portanto, se você decidir usar as técnicas, use-as como a “ultima ratio”. Se eventualmente elas funcionarem com você, lembre-se que não é por “pura sorte”, é porque você estava preparado; e, quanto mais preparado você está, mais “sortudo” você se torna”. Como disse Tiger Woods: “Quanto mais eu treino, mais sorte eu tenho”. 

Acho que é tudo galera! Estude cada dia mais, se supere a cada semana!

Qualquer coisa, estou à disposição, postem suas dúvidas, se preferir, me enviem email. lingworks@hotmail.com

Bons Estudos! Insane Mode: ON!

Fonte: http://aspirantespf.blogspot.com.br/ Por Jonas Leite

PM/SP divulga edital oferecendo 2.293 vagas com salário de R$ 3.000,00

brasaopmsaopaulo

Saiu o edital! Foi divulgado nesta quinta-feira, 10 de novembro, o aguardado edital de concurso da Polícia Militar do Estado de São Paulo (Concurso PM-SP 2016-2017). De acordo com o documento publicado, serão oferecidas nada menos que 2.293 vagas para o cargo de Soldado PM de 2ª Classe, com oportunidades para candidatos de ambos os sexos. A Fundação VUNESP coordenará o certame.

Para concorrer a uma das vagas no concurso da PM-SP 2016-2017, o candidato deverá ter nível médio completo e idade entre 17 e 30 anos. Além disso, ter 1,60m de altura (homem) e 1,55m (mulher), Carteira Nacional de Habilitação no mínimo na Categoria B são requisitos para participar do concurso público. Os salários oferecidos chegam a R$ 2.992,54, sendo R$ 1.178,88 de salário base, além de R$ 1.178,88 de Regime Especial de Trabalho Policial (RETP) e R$ 634,78 de insalubridade.

Atribuições do Soldado

O Soldado terá que realizar o policiamento ostensivo e a preservação da ordem pública, envolvendo a repressão imediata às infrações penais e administrativas e a aplicação da lei, nas diversas formas de policiamento, sempre primando pela defesa da vida, da integridade física e da dignidade da pessoa humana, em conformidade com os princípios doutrinários de polícia comunitária, de direitos humanos e de gestão pela qualidade, por intermédio da conclusão com aproveitamento do Curso Superior de Técnico de Polícia Ostensiva e Preservação da Ordem Pública, destinado a formar, com solidez teórica e prática, o profissional ocupante do cargo inicial do Quadro de Praças da Polícia Militar.

Inscrição

As inscrições no Concurso da PM/SP 2016-2017 serão realizadas entre 10 horas do dia 16 de novembro às 15h59 do dia 15 de dezembro de 2016, no endereço eletrônico oficial da organizadora – VUNESP (www.vunesp.com.br). A taxa de inscrição custará R$50,00.

Avaliações

Os inscritos no concurso serão avaliados por provas objetivas, redação, aptidão física, saúde, psicológico, investigação social e análise de documentos e títulos. As avaliações objetivas serão aplicadas na data prevista de 05 de fevereiro de 2017, turno da tarde, em Araçatuba, Bauru, Campinas, Piracicaba, Presidente Prudente, Ribeirão Preto, Santos, São José do Rio Preto, São José dos Campos, São Paulo e Sorocaba. As provas contarão com 50 questões, sendo:

18 de língua portuguesa;
12 de matemática;
10 de conhecimentos gerais;
05 de noções básicas de informática; e
05 de noções de administração pública
A validade do concurso será de 90 dias, com possibilidade de prorrogação por igual período, a critério da Administração.

Fonte: Notícias Concursos por Jonas Leite

PROCESSO QUE SOLICITA CONCURSO PÚBLICO PARA O DPF ANDA NO MPOG

Olá, pessoal!
Aos aspirantes a PF, hora de dar aquela tunada nos estudos. O pedido de concurso da PF esta movimentando como carro turbinado no MPOG.
As expectativas (inclusive a minha) são para vagas de Delegado, Perito e Escrivão.
Aqueçam os motores… A qualquer momento pode vir edital por aí!

Abaixo os últimos andamentos do processo que solicita CONCURSO PÚBLICO PARA O DPF

mpogpolfed

Protocolo Integrado

Bjs,

Por Mari

Já ouviu falar do COT? SEAL? E do TEAM SIX – A ELITE DA ELITE?

Fala, caveiras de plantão, beleza? Nem só de estudo vive o concurseiro policial, certo? Partindo deste conceito, irei listar abaixo alguns livros de suma importância para o conhecimento da policial federal, sobrevivência policial e grupos especiais. Boa leitura.

livrocotCharlie Oscar Tango – Por dentro do grupo de operações especiais da Polícia Federal

Data da primeira publicação: 2009

Autores: Eduardo Maia Betini, Fabiano Tomazi

Charlie Oscar Tango – Por dentro do grupo de operações especiais da Polícia Federal está dividido em três partes: a primeira aborda assuntos como a formação de grupos de operações especiais, histórico, treinamento, tarefas e divisões; a segunda traz uma narrativa detalhada de dez grandes operações da Polícia Federal, com os bastidores, as dificuldades, a execução. A terceira é um breve estudo sobre sociedade e violência, trazendo dicas de segurança para auxiliar o leitor no seu dia-a-dia.

Seu nome tem origem no Alfabeto Fonético da OTAN, um código amplamente utilizado em comunicações, favorecendo o entendimento quando da existência de ruídos nas transmissões. O acrônimo COT, de Comando de Operações Táticas, é representado da seguinte forma: C (Charlie), O (Oscar) e T (Tango). Com esse código, formamos o título: Charlie Oscar Tango.

O livro tem o objetivo de abordar as atividades dos policiais que atuam no Grupo de Operações Especiais da Polícia Federal, mostrando os treinamentos, os casos verídicos e as investigações realizadas por esses profissionais.


aoanfibiasOscar Alfa

Data da primeira

publicação: 2015

Autor: Fabiano Tomazi

Oscar Alfa trata sobre a utilização de operadores anfíbios no meio policial e militar, em mais profundidade na Polícia Federal. Está dividido em duas partes. Na primeira, traz um panorama sobre o emprego das operações anfíbias, sua história, a formação dos operadores multimissão, os equipamentos e as instalações. Na segunda, traz o relato emocionante de diversas missões cumpridas pelos operadores anfíbios da PF, além de um trabalho de resgate da história, através da publicação de duas entrevistas realizadas com precursores do COT e do NEPOM, que narraram outras operações ocorridas em suas épocas. O livro tem cerca de 350 páginas, ricamente ilustrado e com extensa bibliografia, foi escrito em linguagem acessível, visando atender tanto o público leigo, interessado no trabalho policial, bem como profissionais da área, que poderão usufruir do seu conteúdo como uma referência técnica para implantação de novas unidades ou no aprimoramento da doutrina de operações especiais, estimulando uma constante e contínua capacitação profissional.


autodefesaAUTODEFESA Contra o Crime e a Violência – Um guia para Civis e Policiais.

Data da primeira publicação: 2013

Autor : Humberto Wendling Simões de Oliveira

Porque morrer não faz parte do plano! Quantas vezes você já pensou na possibilidade de ser vítima de um criminoso? Como você se sentiu diante dessa possibilidade? Como seria se você estivesse diante de um assassino ou um maníaco sexual? E o que as infelizes vítimas de assassinos, torturadores e estupradores pensaram e fizeram ao se verem à beira da morte?

Elas rezaram e esperaram um milagre? Elas esperaram a polícia? Simplesmente aceitaram a morte, a tortura e a violência sexual porque estavam com medo ou não sabiam o que fazer? Então, o que você faria se fosse com você? O que gostaria que sua esposa ou sua filha fizesse para estar a salvo? É para responder a essas perguntas que a ideia deste livro surgiu, ou seja, oferecer o conhecimento necessário para que você seja capaz de se defender antes e durante um crime.


nahadiafacilNão Há Dia Fácil

Data da primeira publicação: 2012

Autor : Mark Owen

Não há dia fácil é um retrato da vida nas equipes do Seal e o único relato interno sobre a Operação Lança de Netuno, realizada em 1º de maio de 2011, que resultou na morte do terrorista Osama bin Laden. Desde a pane no helicóptero Black Hawk – que quase fez com que a missão fosse abortada – até o comunicado pelo rádio via satélite confirmando que o alvo estava morto, a operação dos vinte e quatro homens na propriedade secreta de Bin Laden é recontada em mínimos detalhes. Das ruas de Badgá ao resgate do capitão Richard Phillips no oceano Índico; das montanhas ao leste de Cabul ao terceiro andar do esconderijo de Osama bin Laden em Abbottabad, no Paquistão. Não há dia fácil coloca o leitor dentro de uma das mais surpreendentes tropas de elite do mundo. Mark Owen, ex-membro do Grupo para o Desenvolvimento de Operações Especiais da Marinha dos Estados Unidos, mais conhecido como Equipe Seis do Seal, foi líder de uma das mais memoráveis operações especiais da história recente, assim como de inúmeras outras missões que nunca chegaram às manchetes.


nahaheroisNão Há Heróis

Data da primeira publicação: 2015

Autor : Mark Owen

Depois do fenômeno de vendas Não há Dia Fácil, Mark Owen, ex-SEAL da Marinha Americana, escreve seu segundo livro, Não há Heróis, no qual conta as histórias que mais o marcaram em sua carreira, transformando-o no soldado e na pessoa que é hoje. Não há Heróis é um relato mais pessoal. Owen relembra as histórias mais marcantes, vividas ao longo dos 13 anos em que ele serviu como SEAL, incluindo momentos-chave onde, no sucesso e no fracasso, ele passou a conhecer melhor seus colegas e a si próprio. Tão repleto de ação quanto Não há Dia Fácil, com histórias que vão dos treinamentos ao campo de batalha, Não há Heróis traz ao leitor uma perspectiva interna das experiências e valores que fizeram com que Mark Owen e seus colegas fossem capazes de executar suas missões sem que elas sequer chegassem às manchetes.


sniperamericanoSniper Americano

Data da primeira publicação: 2015

Autor : Chris Kyle

Em uma década de serviço, incluindo diversas incursões ao Iraque e a outras zonas de combate durante a chamada guerra ao terror, Chris Kyle, atirador de elite dos Seals, alcançou o recorde de mais de 150 mortes confirmadas pelo Pentágono. No livro, ele fala dos sofrimentos da guerra, da morte brutal dos companheiros, da ação como atirador e da frieza e da precisão que desenvolveu ao longo do serviço, lançando luz não só sobre a realidade dos combatentes como também sobre a dificuldade de readaptação dos que retornam ao lar. Em 2013, Chris Kyle foi assassinado por um veterano de guerra que sofria de transtorno de estresse pós-traumático.


teamsix

Seal Team Six

Data da primeira publicação: 2012

Autor : Howard E. Wasdin

O Seal Team Six (ST6), denominado atualmente como DEVGRU, é uma unidade ‘clandestina’, encarregada de ações antiterrorismo, resgate de reféns e neutralização de insurreições. Sua existência foi mantida sob estrito sigilo, entretanto, ao matar Osama bin Laden, os efetivos envolvidos na operação foram expostos ao foco das atenções mundiais. Neste livro, Howard Wasdin, um ex-atirador do ST6, tem o intuito de levar o leitor às profundezas do interior do mundo dos SEALs. O autor procura descrever o complexo processo ao qual um SEAL é submetido para chegar a integrar esta ‘elite dentro da elite’.


sobreviventeO Único Sobrevivente

Data da primeira publicação:2008

Autor : Marcus Lutrell

Eles foram enviados ao Afeganistão para capturar ou eliminar um líder da al Qaeda. Eles são os soldados mais bem treinados dos EUA. Eles são SEALs. Mas apenas um deles voltou. O único sobrevivente é o testemunho emocionante de Marcus Luttrell, combatente de elite da Marinha dos EUA que enfrentou as montanhas repletas de terroristas e perdeu toda a sua equipe. O estilo apaixonante dos autores faz deste livro um dos relatos de guerra mais impressionantes da história contemporânea.

Por Rafael Pompeu

Dicas do Agente Federal Fernando: 5 elementos para você ser aprovado na Polícia Federal

Faaaala, futuros e futuras federais, tudo certo?

Aqui é o Agente Federal e Coach Fernando Odnanref.

Concurso da policia federal – Como começar estudar?

Saiba quais os 05 (Cinco) elementos necessários e indispensáveis que todo concurseiro deveria saber antes de começar a estudar para qualquer concurso, principalmente o da PF!

Por Fernando Odnanref